Policial reclama da propina recebida de traficante

Uma ação que envolvia o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público, a Corregedoria da Polícia Militar e a Polícia Federal atuou para cumprir 100 mandados de prisão contra policiais militares e traficantes de drogas, além de 191 mandados de busca e apreensão. 
propina, policia, traficante, negociação, corrupção

O esquema que envolvia 32 policiais entre soldados, cabos e sargentos, conhecido como guarnição dos "Bad boys", lucrava até R$ 200 mil por semana recebendo propina de traficantes de drogas e outros negócios ilícitos. 

Em uma conversa telefônica gravada com autorização judicial, um policial se revolta ao ouvir que os traficantes irão pagar apenas R$ 1.500 a cada quinze dias. Em outra conversa, PMs negociam a liberdade de um traficante preso em flagrante pela quantia de R$ 5 mil, mas receberam uma contraproposta de R$ 500. Confira a negociata entre os policiais e os traficantes: 

  • Nenzão - E aí, filho! 
  • Rosa - Oi! 
  • Nenzão - Fala, filho! 
  • Rosa - Como é que tá aí? 
  • Nenzão - Não, os caras, o polícia pegou, me pegou aqui com o, o X-9 pegou, me caguetou, entendeu? 
  • Rosa - Ah. 
  • Nenzão - Eles estão pedindo dinheiro, filho. 
  • Rosa - Quanto tá pedindo? 
  • Nenzão - Pra me liberar, entendeu? 
  • Rosa - Quanto? Quanto? 
  • Nenzão - Pediu cinco. 
  • Rosa - Cinco? 
  • Nenzão - É. 
  • Rosa - Que isso! Isso tudo? Pegaram você com quê? 
  • Nenzão - Não, pegou, me caguetou, entendeu? 
  • Rosa - Ué, mas não pegaram você com nada não? 
  • Nenzão - Oi? 
  • Rosa - Pegou tu com nada não?  
  • Nenzão - Não, veio direto na casa, na minha direção, entendeu? 
  • Rosa- Aí, eles quer cinco mil? 
  • Nenzão - É. 
  • Rosa - Fala pra eles que nós não tem esse valor todo na mão não, cara, muito dinheiro. 
  • Policial - Quanto que dá pra eles agora? 
  • Nenzão - Ô, filhão! Ele perguntou quanto vocês têm na mão? 
  • Rosa- É, na mão agora, dá pra mandar uns 500 pra ele agora na mão, doido. 
  • Policial - Pô, manda ele tomar no c* dele, p*rra! Tá de sacanagem? Quinhentos conto, pô! Não sou mendigo não, pô!) 
  • Nenzão - Tem como, ele falou que... tem como você pelo menos mandar três mil. 
  • Rosa - Que isso, cara! Muito dinheiro, cara! Mil, fala pra eles, mil. 
  • Nenzão - Oi? 
  • Rosa - Mil, fala pra eles mil na mão agora aí, ó. 
  • Nenzão falando aos PMS - Perguntou se tem como mandar mil e o resto na sequência. Ô! 
  • Rosa - Oi, oi! 
  • Nenzão - Ele perguntou se tem, tem como você pegar, mandar três agora. 
  • Rosa - Fala de novo, fala de novo. 
  • Nenzão - Perguntaram agora se tem como você pegar, mandar três e parcela dois. 
  • Rosa - Mas nós não tem esse dinheiro todo na mão agora não, cara. Final de semana, a gente tá fazendo ainda, fala pra eles que falta nós fazer ainda. Se ele pudesse pegar agora mil agora, depois pegar o resto com nós aí na continuação. 
Para não ser preso, Nenzão oferece o pagamento de R$ 2.000,00 em duas parcelas - R$ 500 na hora e os R$ 1.500 restantes em 15 dias. O acordo é fechado, o traficante retorna para suas atividades e os policiais idem.

Comentários

++ DA SEMANA

Atos de Vingança - Antonio Banderas

Vingança fatal contra a Yakusa carioca

O Mercado financeiro quer apenas seu bem

Filho de juiz é preso transportando drogas, armas e munições

Comando para matar - parte 4

Lojista meliante aprende que bom cabrito não berra

Greve de juiz e desembargador pelo piso magistral

Liguem as prensas da fábrica estatal de dinheiro?

Neoliberalismo e frustração sexual

O homem que pagava para não se incomodar