A história da balada do pistoleiro - desperado

Essa é outra história de vingança, de justiça com as próprias mãos. Um mariachi mexicano tem sua amada assassinada e sua mão furada a bala por traficantes. Ele podia se contentar em matar os malfeitores mas por algum motivo ignorado ele decide ir além e pôr fim a vida do chefão do tráfico, chamado Bucho. Nessa empreitada ele conta com a ajuda de um amigo que usa uma estratégia duvidosa - alertar o inimigo sobre um ataque iminente.
desperado, antonio banderas, salma hayek, balada do pistoleiro

Ele entra num bar cheio de traficantes e conta ao barman uma história ocorrida em outro bar. Nessa história um mexicano de dois metros de altura que procura por um tal de Bucho abriu uma maleta cheia de armas e matou todo mundo. Antes, fez uma das vitimas cantar tudo direitinho, confessar o mundo. Depois de contar essa história o homem sai do bar dizendo que o mexicano está indo para lá. O bar é fachada para uma fábrica de droga e outros dois traficantes entram para fazer um negócio. Eles descobrem o que muitos já sabem -  que a cerveja é uma droga. Essa descoberta faz um deles lembrar de uma piada.

Um cara está num bar e aposta 300 com o balconista de que vai mijar num copo a 3 metros de distância sem derramar nenhuma gota. O balconista topa. O cara mira no copo mas erra e mija por todo o lado inclusive sobre o balconista. O balconista começa a gargalhar por ter vencido a aposta é exige a grana. O sujeito vai até o fundo do bar e conversa  com os caras que jogam bilhar. Retorna rindo e paga os 300 ao balconista. O balconista pergunta o motivo da alegria já que perdeu 300. Então o sujeito explica que apostou 500 com cada um que mijaria no bar e no próprio balconista e que o mesmo ficaria feliz.
O barman não gosta da piada e atira na cabeca do comparsa do piadista. O piadista então é levado para um esconderijo trás do bar onde a droga é fabricada. Na rua, o mariachi faz amizade com um garoto antes de entrar no bar e desfazer o sorriso do barman. O barman manda abrir o estojo de violao que revela o fundo falso cheio de armas e granadas. Começa um tiroteio onde todos os bandidos morrem inclusive o piadista. O mariachi é baleado no ombro e é salvo por uma dona de livraria que o leva para dentro, lhe dá analgésico e faz uma operação para retirar a bala do braço. Ela fica a par da situação.

Mais tarde, o mariachi está conversando na rua  com o amigo contador de histórias e é atacado por um atirador de facas que estava a espreita desde o último tiroteio no bar. O amigo morre e o mariachi é ferido. Ele se esconde num beco e para sua sorte o atirador de facas acaba morto pelos traficantes. O mariachi encontra o garoto servindo de mula de drogas, retorna a livraria e descobre que a cidade é mantida pelo tráfico, inclusive a livraria. Bucho também chega na livraria e após uma conversa com a dona vai embora. A dona então cuida dos ferimentos do mariachi, lhe dá um violão e outras coisas mais.

Bucho desconfia da conversa com a livreira e manda os capangas verificarem a livraria. O mariachi percebe a chegada dos bandidos e começa outro tiroteio que deixou defuntos mexicanos por todos os lados. O casal inicia uma fuga saltando pelos telhados em meio a tiros  e deixando para trás a livraria em chamas. Os dois estão escondidos num telhado próximo à livraria quando Bucho chega de carro. A mulher mostra quem é Bucho e o mariachi aponta uma arma mas desiste de atirar quando vê o rosto de Bucho. A livreira fica apavorada por ter perdido a oportunidade.

Mais tarde Bucho mata um de seus capangas como castigo por terem deixado o mariachi escapar e manda os outros achá-lo. Enquanto isso o mariachi conta para a mulher sua história e pede que ela vá embora com o dinheiro que recebeu de Bucho. A mulher diz que perdeu tudo no incêndio. O mariachi muda de ideia e chama dois amigos musicos para por fim a tudo. Os dois tambem usam maletas de violão que funcionam como  metralhadoras e bazuca. Muitas mortes depois os dois amigos falecem e o garoto que estava por perto fica ferido.

O casal leva o garoto ao hospital e se dirigem a casa de Bucho. Lá começa uma discussão entre o mariachi e Bucho - que é seu irmão - sobre quem perdeu mais vidas no processo. O irmão nega ter mandato matar a amada mas que vai matar a livreira e aponta uma arma para a mulher. Nisso o mariachi ejeta duas pistolas nas mãos e começa a atirar matando o irmão e toda a bandidagem remanescente, aparentemente.

O casal retorna ao hospital. O garoto está bem. O mariachi se despede da livreira e vai embora a pé. Na estrada a livreira lhe dá uma carona. Ele atira a maleta longe e os dois partem. Mas logo voltam para pegá-la. Pode ser útil até a próxima cidade.

Comentários

++ DA SEMANA

Atos de Vingança - Antonio Banderas

Embaixada da Alemanha divulga vídeo contra o nazismo

Justiça pune juiz bandido com aposentadoria

Vingança fatal contra a Yakusa carioca

Aves incendiárias na lista de animais perigosos

Narrativa do filme - Natal em El Caminho

Neoliberalismo e frustração sexual

Solenidade das Pessoas Que Não Roubam

A Forma da Água - The Shape of Water