Narrativa do filme - Natal em El Caminho

Era véspera de natal, mais precisamente faltavam 39 horas e Eric Norris dirige seu carro rumo a El Camino - Nevada, numa manhã ensolarada. O velho xerife acorda tomando remédios, acendendo um cigarro e colocando um adesivo de nicotina no pescoço. Vicente abre sua adega decorada para o natal. Ela se chama “Adega do Vicente”. Uma mulher assiste à previsão do tempo na TV – são quarenta anos sem neve em El Camino. Acontecimentos rotineiros de uma cidade pequena e pacata. 

Na delegacia, o policial Carl mistura bebida alcoólica no café da manhã. Chega o xerife e lhe dá uma bronca porque Carl já não está nem ai para nada. Depois de vinte e cinco anos de trabalho, Carl faz prisões falsas, buscas sem mandado e sabe-se lá o que mais. Eric chega a um motel e pede um quarto. Tenta pagar com cartão mas o cartão é recusado pela máquina. O atendente Billy fica desconfiado se oferece para ligar para o número do cartão mas Eric pede que não. O atendente insiste em ligar e Eric paga em dinheiro. Nisso Carl chega ao motel cantarolando uma música qualquer e pergunta sobre o carro lá fora e senta na cadeira atrás de Eric ainda cantarolando. O atendente sai de trás do balcão e veste um uniforme de policial. 
el camino, nevada, filme, netflix, natal

Uma jovem mãe chamada Kate leva Seth - o filho autista de cinco anos - para uma consulta numa clínica. Ele não fala. No quarto, Eric olha algumas cartas e uma foto antiga quando a privada começa a transbordar. Próximo dali uma repórter nos últimos dias de gravidez, chamada Beth Flowers e um cinegrafista fazem um lanche numa van da emissora de TV, à beira da estrada. Eric sai de uma lanchonete e deixa pago um pedaço de bolo para Seth que está no balcão com sua mãe. 

Eric sai de um mercado levando desentupidor e soda cáustica para limpar a privada. Dentro de um carro de polícia próximo, Carl e o Billy acompanham Eric com os olhos fazendo cogitações sobre a possibilidade dele ser traficante de metanfetamina. Kate e o filho voltam para casa e encontram Jewels - mãe de Kate - que está esperando o novo namorado, Dennis. Mais tarde Eric chega à Adega do Vicente para comprar tequila e encontra a caixa – Kate - distraída. Ela se assusta. Eles conversam. 

Pouco tempo depois Eric bebe tequila no carro e vai até uma casa, bate e pergunta sobre o Sr. Michael Roth. Charles aparece e diz desconhecer Roth. Quando Eric está indo embora o homem diz que contará algumas coisas se Eric pagar uma bebida. Enquanto ele estão a caminho de um bar, Charles enrola um cigarro de maconha, dentro do carro. Charles pede bebida e uma moeda para a jukebox e bêbado arranja briga com dois sujeitos. Eric aparta. Charles enrola e não diz nada de útil sobre Roth. 

Eric vai embora e ao chegar no motel é abordado por Carl e Billy. Billy encontra um pacote de maconha no carro de Eric. Eric nega ser o dono da droga e vai preso. Na delegacia Eric é interrogado sobre a maconha e a soda cáustica. Eric diz que a maconha deve ser do Charles. Carl desfere um golpe de cassetete na cabeça de Eric que desmaia. Charles sai do bar e é atacado pelos dois sujeitos que fogem em seguida. Quando se recupera saca um revolver. 

Na manhã seguinte Vicente abre a loja novamente e percebe que a geladeira pifou tenta consertar mas não consegue. Pede ajuda à Kate que leva seu filho junto pois a mãe está com Dennis. Charles acorda em casa com dor e não acha bebida. Billy se sente mal com o ocorrido com Eric, abre a cela, entrega a chave do carro e manda que ele fuja, enquanto vai ao banheiro. Na Adega do Vicente, Carl ainda bêbado, pega mais bebida e paga com algumas moedas à Vicente. Kate chega com o filho quando Carl está saindo. 

Vicente presenteia o garoto com um carro de controle remoto. Eric corre até o carro que ficou no motel, longe da delegacia. Já no carro, Eric teve o azar de encontrar Carl no caminho. Começa uma perseguição. Carl pede ajuda a Billy pelo rádio. Billy ignora e sai de perto do rádio. Carl atira no motor do carro de Eric antes de perder o controle e jogar o carro num monte de feno. Carl segue a perseguição a pé e chamando ajuda pelo rádio. O xerife ouve. 

Kate não consegue consertar a geladeira. Charles chega à Adega do Vicente para comprar mais bebida. O garoto brinca com o carrinho. O carro de Eric dá pane por causa dos tiros e ele corre para a Adega. Carl se aproxima da Adega, dá outro tiro para cima e chama reforços alegando troca de tiros, em seguida dispara contra a loja em direção à Eric. Todos se protegem. Carl entra na Adega e leva um tiro na perna disparado por Charles. Eric pega a arma de Carl que fica deitado gritando para que Eric se entregue. 

Charles larga o revolver no chão e Eric apanha. Billy e o xerife chegam sem saber ao certo o que está acontecendo. Eric manda Carl largar o spray de pimenta e se arrastar para fora. Carl diz que não consegue se mover. As persianas são fechadas. O xerife resolve ir pelo fundos. Eric manda Carl se algemar. O xerife chega na janela dos fundos, vê Eric armado e começa a atirar. Do outro lado Billy revida o fogo amigo. Vários tiros são disparados pelos policiais até que se dão conta que são apenas eles que atiram. 

Carl tenta convencer os demais que Eric é um traficante. Eric se justifica e diz que só queria desentupir uma privada. O Xerife volta para onde Billy estava e diz que gostaria de voltar no tempo e cortar as bolas do primo antes dele engravidar a mãe de Billy. O xerife liga para a loja e pede para Eric se entregar. Eric diz que os policiais da cidade são malucos e não sai. Na cidade Beth Flowers acompanha uma encenação infantil de natal quando percebe dois policiais saindo da sala e resolve segui-los com o cinegrafista. Na van ela ouve uma chamada da polícia. 

O xerife tenta elaborar uma estratégia e descobrir quem está dentro da Adega. Mais reforços chegam. Carl insiste que Eric se entregue. Charles, enquanto bebe, diz que se Eric sair pela porta, morrerá. A repórter chega o local. Eric descobre que tudo está sendo gravado e molha a central, que queima. Após ligam uma pequena Tv. Charles atende o telefone e ouve o xerife ameaçar invadir se não libertarem os reféns em meia hora. Charles aproveita para pedir muito dinheiro em notas não marcadas e sem a tinta azul.

O xerife manda Billy falar com a repórter. Billy diz à Beth que seu sexto sentido aponta que o sequestrador possa ser Eric, um traficante que fugiu da delegacia ontem, de forma misteriosa. O bêbado Charles discute com o bêbado Carl. Eric propõe a Carl se entregar se ele contar a verdade. Carl fica em silencio e pede cuidados médicos e diz se ele morrer Eric vai pegar prisão perpétua. Carl então começa a lembrar quando o alarme da Adega disparou e ele salvou a loja, enquanto Vicente cuidava da esposa doente. Depois lembrou quando expulsou da cidade o namorado agressor de Kate.

Eric então conta que após a mãe falecer encontrou uma carta do pai desconhecido e resolveu procura-lo no endereço daqui. A geladeira passa a funcionar e Charles começa a cantarolar e pega cerveja para si e para Carl. Chuta Carl que entra na cantoria. O xerife chama reforço estadual. Beth pressiona o xerife que diz que não pode declarar que Eric é o sequestrador. Eric e Kate levam Seth ao banheiro e conversam sobre os pais. Charles dorme bêbado. Carl, que está algemado com as mãos para frente, pede a Vicente que tire uma calibre .22 que está em suas costas e dá sua palavra de que não vai atirar em ninguém. 

Eric dá uma dica à Seth de como ajeitar as pilhas do carro para não caírem. Eric diz a Kate que vai deixar as pessoas saírem. Está anoitecendo quando o xerife resolve invadir a adega antes que os federais cheguem. O celular de Carl toca. Eric manda-o atender. Ele pede para tirar a algema. Eric tira. Carl diz ao xerife que são seis pessoas. O xerife diz que vai invadir em dois minutos e pede que todos deitem no chão. Charles diz que o xerife vai tentar alguma gracinha. Carl diz que Eric ficou maluco. Eric tira o celular de Carl. 

A tv mostra Beth Flowers fazendo a cobertura nacional sobre o sequestro. Ela entrevista a mãe de Kate. Carl deita no chão e olha o relógio. Eric manda Kate e Seth se afastarem das janelas e irem para o corredor. Vicente se apavora. Eric retorna a ligação do celular de Carl e percebe o toque próximo a porta. Vicente grita que Carl tem uma arma. Carl saca o revólver e acerta o abdômen de Eric que cai e atira acertando o peito de Carl que morre. Charles pega a arma de Carl e dispara várias vezes contra a porta de entrada fazendo a polícia abortar a invasão. 

Vicente grita para não atirar e vai até a porta com as mãos levantadas e é alvejado várias vezes pela polícia. O xerife manda cessar fogo. O xerife se escora num carro e percebe que Billy foi alvejado no ombro esquerdo, sem muita gravidade. Beth começa a sentir dores do parto. Após 40 anos, começa a nevar em El Camino. 
"Noite feliz, noite feliz. Ó senhor, Deus de amor. Pobrezinho nasceu em Belém. Eis na lapa, Jesus nosso bem. Dorme em paz, ó Jesus. Dorme em paz, ó Jesus.” 
Os federais chegam criticando a bagunça nacional do xerife. Charles faz um curativo em Eric e enquanto bebe conta uma história sobre um determinado evento da guerra do Vietnã: 
Charles:
"Era Natal, 1960... 69, Vietnã. O vale da Morte. Passei as coordenadas. Um cinco quatro sete norte, um zero oito três seis leste. Primeiro, havia uma vila, nada lá. Fazendeiros e famílias. Então eu abortei o ataque aéreo. Então a artilharia começou a atacar a gente."
Eric complementa: 
"22 soldados mortos, 78 civis, e eles botaram a culpa em você. Eu li suas cartas."
Charles: 
"22 homens dos mais corajosos que já conheci. Só fizeram o que mandaram fazer. O que eu mandei eles fazerem. Passei grande parte de minha vida tentando me redimir por aqueles caras. Achar alguma verdade nisso tudo. Mas ela fugia de mim a cada curva. Eu fui para a corte marcial. Perdi minha casa, meu dinheiro, meu respeito próprio." 
Eric: 
"sua mulher."
Charles:
"sua mãe merecia mais do que isso." 
Eric: 
"merecia sim." 
Charles:
"como você."
Eric:
"sim." 
Charles bebe mais um pouco. O telefone toca. Kate atende diz ao agente especial Patterson que vai sair com o filho e pede para não atirarem. O agente pergunta se o sequestrador está sozinho, se foi baleado. Kate diz que não sabe. Charles propõe um brinde a Eric e Kate - vocês ficam bem juntos. Antes de sair Seth procura pelo carrinho. Eric entrega ao garoto que diz sua primeira palavra: obrigado. Eles saem. 

Eric pede a Charles que saia também. As dores de Beth aumentam. Charles pensa alto: eles farão as contas e verão que só faltam dois e sou o único que não levou um tiro. Charles bebe mais um pouco. Eric diz que vai contar a verdade. Charles diz que a verdade é uma traiçoeira safada e sorri. Pergunta o que Eric quer de Natal e Eric responde que quer sair daqui para começar. Charles diz que nenhum pedido é demais. Pega uma arma, limpa as digitais, se levanta e diz que Eric é um bom sujeito e não é sempre que um cara pode consertar tantos erros. Charles vai em direção à porta. Eric tenta impedir mas não consegue. 

Charles pega a chave da casa e a joga para Eric desejando Feliz Natal. Na chave tem uma plaqueta escrito: Roth Michael Lawrence – 165-31-7429 – O POS - Católico. Roth sai pela porta segurando uma garrafa de whisky numa mão e uma garota de biquíni de papelão em tamanho real na outra. Bebe seu último grande gole, joga a garrafa fora, sob insistentes ordens do agente de deitar no chão. Ele se despede da garota de papelão, pega uma das armas e diz que deixou uma pessoa lá dentro que precisa de cuidados médicos. 
"A vida de um homem, solitário, pobre, sujo, bruto e curta." 
Roth saca a outra arma que estava na cintura e aponta para os policiais. Roth cai e suas últimas palavras são: 
"é bom que seja melhor ai em cima, amigo. É o que tenho a dizer. É só isso." 
Roth morre ao lado da garota de papelão. Eric recebe cuidados. Beth é levada ao hospital. 182 dias depois o xerife está tentando outro método para parar de fumar. Beth conseguiu fazer matérias nacionais. Jewels conseguiu outro namorado. Billy trabalha para se tornar xerife. Vicente sobreviveu a 4 ferimentos de balas, ganhou 32 milhões de dólares e está curtindo numa praia. Kate e Seth estão na lanchonete e recebem um bolo – cortesia de Eric – que chega em seguida. Seth já está falando bem.

Comentários

++ DA SEMANA

Atos de Vingança - Antonio Banderas

Neoliberalismo e frustração sexual

Greve de juiz e desembargador pelo piso magistral