Criança desmaia de fome em Escola Sem Almoço

Um caso repercutiu quase enormemente pelas redes sociais comovendo pessoas das mais variadas estirpes e concepções teóricas, revelando que a humanidade - sim, que ela - ainda está no meio de nós, ao menos em alguns de nós, pobres criaturas que são levadas a reboque do sistema re vigorante, sem muita reflexão. 
prato vazio, bolsa familia, beneficio social

Consta dos anais da divulgação originariamente estapafúrdia que em uma determinada tarde de um determinado dia, uma criança, em seus tenros oito anos desmaiou dentro de uma sala de aula. A aula de matemática estava em sua terça parte quando sem maior aviso, a criança estabacou-se no chão levando uma parte dos colegas a gargalharem com seus dedos recriminadores apontados para a vítima, enquanto outros acudiram a pequena criatura, afoitos por chegarem rapidamente ao conhecimento do que havia servido de motivo para tal evento inusitado. 

Temendo pelo pior chamaram a ambulância e levaram a prole ao hospital enquanto avisaram a família. Após um breve atendimento a criança voltou a si e numa conversa preliminar constatou-se que o motivo do desmaio era fome, pura e simplesmente falta de comida. Não havia almoço em casa porque a família de baixa renda havia perdido o emprego numa falência mal explicada e encontrava-se desempregada há uns vários meses. 

Já na escola, não havia almoço porque o governo de direita que já era adepto do "Escola Sem Partido" também se tornou adepto do "Escola Sem Almoço" e por isso não via necessidade de dar comida uma vez que já fazia muito em dar uns biscoitinhos com um copo de água no meio da tarde e no meio da manhã seguinte. 

Mas, voltando ao ocorrido, um misto de emoção e indignação se espalhou pelos corações das pessoas ao verem aquela criaturinha mirrada enfrentando a fome para ir à escola dia após dia, até suas forças se esvaírem e ela não aguentar mais carregar a pesada mochila e acabar por tombar no caminho da justiça social, sem bolsa família. 

Por outro lado, a burguesia local fez uma campanha e arrecadou alimentos. Discursos foram feitos, elementos foram elevados às alturas, autoridades ganharam placas para dependurar em suas salas de estar. Mas, infelizmente, três semanas após, a pobre criança ainda estava indo a escola sem almoçar, o governo continuava fornecendo uns biscoitinhos de água e sal e as pessoas se indignavam com outra situação aleatória, batendo panelas.

Comentários

++ DA SEMANA

Movimento ético quer receber sem doar

Homem na lua, Terra plana e reformas

Não perca as promoções da Black Friday