Pessoas que negam suas ações

Alguns indivíduos, senão grande parte deles, tem uma habilidade nata de não assumir determinado fato ocorrido e em vez disso o negam de forma veemente. Talvez por crerem que a insistente negativa da ação, magicamente, anulará a mesma ação, transformando um fato real numa ilusão esporádica e inexistente, ou simplesmente porque eles acham que somos um bando de abestados que acredita em qualquer coisa. 
motel, onibus, transporte urbano

Defeito de personalidade? Falta de caráter? Alguns estudos a respeito apontam direções variadas mas ainda inconclusivas. No entanto, com o advento das câmeras de vigilância espalhadas por diversos locais foi possível tornar mais evidente essa capacidade que algumas pessoas têm de não assumir determinados atos. 

Por que você roubou esse carro? Eu não roubei não doutor, eu só peguei para dar um role. .
Não é difícil assistirmos filmagens onde determinado meliante nega peremptoriamente ter cometido esse ou aquele delito filmado e registrado. Outra situação comum é quando um sujeito atropela um pedestre e foge do local rapidamente para não ser identificado e poder manter aquilo no mais absoluto segredo como se nada tivesse acontecido.

Mas um caso chamou a atenção pela cara de pau do sem vergonha. Um motorista de ônibus da cidade de Boitatá das Neves, após o desembarque do último passageiro, estaciona o ônibus no final da linha e esquecendo que a câmera do ônibus estava ligada começa a fazer as vezes junto à cobradora afinzona. 

O patrão soube do ocorrido e o demitiu por justa causa afinal, motel serve para isso. Por sua vez, o sujeito nega o fato e recorre ao judiciário pleiteando a anulação da decisão bem como uma indenização pelos transtornos causados por essa história "inventada" que o prejudicou junto à sua família e agregados. 

Em sua defesa, o esperto alegou que sua colega estava passando mal da garganta e chegou a desmaiar em seu colo, obrigando uma turma de juízes recursais a rever inúmeras vezes a filmagem, como forma de estabelecer o convencimento de que a cobradora estava com uma atitude ativa e bem disposta sem demonstrar qualquer sinal de mal-estar ou fragilidade física. 

O cidadão sabia o que fez e sabia que o feito foi filmado mas em vez de admitir e arcar com os riscos da empreitada não só negou ter feito como buscou ganhar uma indenização por terem inventado e divulgado o que ele fez. Tem advogado que se presta a esse papel.

Um homem velho desses não se dá ao respeito. Vá criar vergonha na cara seu malandro. 
Exclamou uma vizinha carola que acompanhou o julgamento. Já a coadjuvante não foi encontrada para negar ou confirmar a história. 

Comentários

++ DA SEMANA

Movimento ético quer receber sem doar

Homem na lua, Terra plana e reformas

Não perca as promoções da Black Friday