Lei proíbe discussão extracurricular na escola

Começa a vigorar no dia de hoje em Santa Cruz Credo do Sul, a polêmica lei que proíbe professores ideologicamente alinhados a esquerda ou direita de manifestarem-se politicamente dentro de sala de aula, sob qualquer pretexto ou circunstância. 
aluno, escola, partido, politica

Inicialmente pensada como mecanismo de proteção para que estudantes não fiquem expostos à influência de catedrático com tendências anti-capitalistas, a lei causou polêmica durante sua tramitação recebendo diversos adendos, inclusive do deputado Filisteu Madeira que estendeu a proibição à professores de direita e extrema direita, inclusive. 

Chamado de Escola sem Política, o então projeto obriga a escola a ater-se estritamente aos assuntos curriculares pertinentes, respeitar e não influenciar as convicções do aluno, pais ou responsáveis, garantindo que os valores de ordem familiar não possam sofrer qualquer modificação em virtude de influências externas propiciadas principalmente por orientadores alheios a esses valores. 

Críticos da lei afirmam que a escola perde parte de sua função educativa na medida em que assuntos políticos atuais e relevantes, que naturalmente surgem no dia a dia, deixarão de ser abordados em sala de aula e afirmam que o vitorioso será apenas o sistema opressor.
Vai ser preciso muito critério e reflexão ante um determinado questionamento da turma. Será que minha resposta tem um viés político ou não. Na dúvida melhor não responder e dizer que o assunto é proibido.
Sugere um mentor versado em filosofia.

Comentários

++ DA SEMANA

Movimento ético quer receber sem doar

Homem na lua, Terra plana e reformas

Não perca as promoções da Black Friday