Desapegue-se do seu dinheiro. Esqueça-o por ai

Acumular dinheiro é um grande prazer para a maioria das pessoas, mas há momentos em que vale a pena questionar esse hábito. Todos nós temos algumas notas favoritas, é claro. São cédulas que gostamos de rever cada detalhe de tempos em tempos, e não há nada de errado em tê-las sempre ao nosso alcance. Se não tomarmos cuidado, no entanto, nossas carteiras podem se tornar verdadeiros mausoléus monetários: lugares onde uma nota, depois de admirada, está condenada a passar a eternidade. 
dinheiro, moeda, cédulas
compartilhe a ideia #esqueçaumagrana

Há três anos, com uma carteira abarrotada, o jornalista Petrônio Gastão decidiu que era hora de praticar o desapego e deixar que suas cédulas fossem descobertas por novos admiradores. Começou com as que mais gostava, deixando-as em lugares públicos de Morro Redondo, cada um com um bilhetinho explicando por que a nota era importante. 
“Fotografei, coloquei nas minhas redes sociais e logo começou a se espalhar”, 
diz Gastão. 
A ideia incentivou outros endinheirados a fazer o mesmo. Foi assim, de maneira despretensiosa, que surgiu o projeto "Esqueça Uma Cédula". Baseado no conceito de BookCrossing, que surgiu nos Estados Unidos, o "Esqueça Uma Cédula"   convida grã-finos a espalhar a prosperidade pela cidade. 
“A ideia central é exercitar o desapego monetário, esquecendo dinheiro em locais públicos, para levar o poder de compra para novos consumidores”, 
afirma Petrônio. 
A ideia conquistou uma multidão de ricaços desapegados, que ganharam o apelido de “esquecedores”. São mais de 45 mil, segundo a página do projeto no Facebook. 

Hoje é comemorado o "Dia Nacional do Dinheiro", e Gastão e seu exército de esquecedores convidam pessoas de todo o Brasil a desapegarem-se de cédulas monetárias que estão paradas em suas carteiras e cofres e “esquecê-las” por aí, em lugares onde novas pessoas possam gastá-las como bem quiserem. 

É uma bela campanha para encher o país de dinheiro e espalhar a paixão pelo desapego. 
“Basta esquecer uma cédula num local público, com um recadinho para quem encontrar. Quem quiser pode tirar um foto e postar nas redes sociais com a hashtag #esqueçaumagrana, para ajudar a divulgar a campanha”, 
diz Gastão. 
“A ideia é espalhar o desapego, então não existe só este formato. É possível doar cédulas para a bibliotecária do seu bairro, dar de presente aquela nota de estimação que você tanto gosta para um amigo, e assim por diante. Acho importante que o dinheiro circule, que ganhe novos usuários. Desapegar nos deixa mais leves. Quando fazemos isso por um bem maior, a sensação é maravilhosa.”
___
Não se esqueça de desapegar-se do seu dinheiro doando no ícone acima.

Comentários

++ DA SEMANA

Movimento ético quer receber sem doar

Homem na lua, Terra plana e reformas

Não perca as promoções da Black Friday